segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

ATO



Quero que minha língua quente,
Percorra cada centímetro de seu corpo
E em todos seus segredos entre
Ignorando seus pedidos de socorro.

Pretendo molhá-la por inteira
E deixá-la assim... eternamente
Molhada e sem nenhum direito
Só o de me possuir, docemente

E, quando suas forças se esgotarem
Um êxtase tomará conta de meu ser
é um prazer que encanta, sem culpa.

Fazendo com que ao céu eu suba
E que dos meus sonhos você faça parte
E nossa noite em verdade se consuma...

                                                                                        @T.Q.

6 comentários:

  1. Nossa...profundamente profundo rs! Belas palavras gostei muito parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Soneto sensacional, Tiely! e ele tem um ritmo, uma musicalidade...isso é extremamente difícil de fazer!
    Parabéns :)
    Breno

    ResponderExcluir